-->

quinta-feira, 2 de setembro de 2010

single speed: uma lembrança de como pedalar pode ser divertido.

Depois de um tempo afastado do ciclismo por conta de um acidente, a alguns meses atrás voltei a treinar. Senti meu corpo lento, pesado... fora de forma mesmo e senti que era hora de recomeçar... dar reestart mesmo e começar da base mesmo... ou quase.

Quem me ensinou sobre quadros, construção e pedais foi meu avo que tinha suas experiências trazidas com ele quando migrou da Europa. Quando comecei a realmente querer pedalar minha bike não tinha marchas como a da maioria das pessoas... mas tinha ainda uma coisa a menos! a CATRACA!!! Pois é... de dar inveja a muitos... hehehe... eu comecei pedalando uma bike com roda fixa. Durante muito tempo treinei assim... Eu odiava! mas me deu muita força e base. Com a roda fixa vc aprende a pedalar de verdade, a sentir a bike realmente... e a ficar bem cansado tb hehehe. Passada essa época fiquei muito tempo com uma bike feita de aço 1020 por ele com catraca de 3 marchas e coroa de 44 dentes, mas a usava como bike single speed. Ela não tinha cambio, na verdade antes de sair de casa eu tinha que pensar bem em qual das 3 eu ia colocar a corrente pra sair pra treinar. Me diverti muito com ela, mas sempre sonhava com o dia que ia usar as benditas marchas! sonho de qualquer garoto uma bike com marchas! Naquela época era tão pop ter marchas que o pessoal colocava até em caloi cross!!!!
Pois bem, depois da primeira bike com marcha tudo muda... sua visão muda, seu treino muda ... sem contar aquela fase de moleque que vc adora ficar cambiando hehehe. Apesar de saber do valor da base onde fui criado, talvez eu nunca tenha me dado conta de como aquilo foi valioso.

Bem, voltando ao assunto do recomeço, minha estradeira estava distruída... foi um bom pretexto pra voltar as raízes. A grana tava curta... resolvi então fazer um novo quadro pra mim... mas não com uma liga super cara ou ao menos especial... resolvi que ela seria feita com aço comum pra bicicletas. Isso garantiria que ela ficaria com o mesmo peso da minha estradeira com marchas, não sairia caro e poderia bater nela sem dó!
Pois bem, a idéia inicial era usar fixa, mas o bom senso ou falta de coragem me fez optar por uma catraca mesmo... usando uma relação 44 x 20 voltei a treinar. no início é um pouco estranho, mas logo vc se acostuma a falta das marchas e quando ve, percebe que uma relação como essa não te deixa sentir falta de marchar mais leves e nem pesadas no plano... só nas decidas é que vc sente um pouco de falta de "peso". Derrepente, o que era pra ser um treino de base se tornou diversão! Vc se ve num mundo mais simples, com menos manutenção, menos "cuidado pra não estragar algo"... vc esquece o resto e se preocupa apenas em pedalar! Fora que o amigo do alheio nem te dá atenção! É de lavar a alma.

Não estou dizendo que vivo sem minha mtb e minha estradeira com marchas, pq eu ainda as adoro, mas as vezes menos é mais mesmo e vale pela diversão e pelo treino, pq vc realmente TREINA com uma single.

Atualmente estou usando na cidade uma mtb single com pneus slick 1.5 e tem sido meu transporte diário. Não penso em outra bike hoje pra uso urbano.

Deixo minha estradeira pras estradas e minha MTB pra trilhas de verdade que são o lugar delas.

4 comentários:

André Castro disse...

Igor,

Parabéns pela bike, ficou muito boa.

É muito bom ver vc novamente com todo o vapor.

Abraço.

sidney disse...

quanto custaria um quasro de cromoly mas em conta single speed aro 26, tamanho 17. canote 27,2 ou 26,8?

Igor Miyamura disse...

tenho quadros de aço pra single a partir de 340 reais e de cromo a partir de 1200. Para saber mais me mande um e-mail: igormiyamura@hotmail.com

Rafa disse...

Parabéns pelos trabalhos!
Gostaria de um quadro desses para uma bike justamente para essa finalidade. Simples mesmo até no material do quadro. Qual seria o custo?